A mistura explosiva do C. D. Nacional



A boa mentira é aquela que instrumentaliza a verdade.
Até ver, isto não passa de uma citação mas existe uma mistura explosiva entre futebol, lar de idosos  e fundação.

O desporto já foi uma escola de virtudes mas, depois dos empresários se armarem em dirigentes desportivos, a coisa nunca mais foi a mesma.

O que vou dizer nem a suspeição chega, é talvez um artigo para ficar a ganhar pó no Correio da Madeira até um dia ... um memória futura ou um alerta de que não andamos todos a dormir. A Assembleia Geral dos sócios do CD Nacional decidiu aprovar o projecto que prevê a construção de um lar de idosos e a criação de uma fundação na Choupana.

Estamos metidos num contexto em que muitos usam Fundações e as IPSS para maquilharem as suas intenções, então nesta última está bem presente o PSD Madeira a tornar as Casas do Povo nas suas sedes partidárias, pagas pelo erário público, e financiadas enquanto IPPS para roubar protagonismo às Juntas de Freguesia ... onde não se ganha eleições.

É claro que estes governantes são exemplo e instruem outros a fazer o mesmo. Em meu entender, o Clube Desportivo Nacional segue as fórmula de sucesso da política, e vai atrás do dinheiro. Pouco importa se os idosos vão sentir dores nos ossos com o célebre tempo de "D. Sebastião" na Choupana. Se ainda pegassem no Choupana Hills ...

Uma fundação para receber bons donativos e armadilhar? Um lar de idosos que, com certeza, ganhará o estatuto de IPSS ... ainda veremos dinheiro dos velhinhos no futebol profissional? Chapa ganha dá todo o direito ... Há coisas que não se deve misturar com tamanhos indicadores. Quem não quer ser lobo que não lhe vista a pele.

Por sorte, o Clube Desportivo Nacional não decidiu abrir uma sede em cada concelho ou freguesia através de uma nova Casa do Povo CDN. Seriam mais capelinhas no já de si híper subsidiado futebol com conexos a encaminhar dinheiro. Este parágrafo assumam como especulativo.

Com certeza chamarão este contribuinte de invejoso, ressabiado e tonto. Na boca dos privilegiados posso ser o que desejarem, andam todos "jogar" para as suas satisfações pessoais usando situações prioritárias. Quando o mais elementar serviço, como uma secretaria, não tem dinheiro para assumir os seus compromissos e deixam os utentes ao Deus dará, arranjamos ainda mais estruturas para consumir no expediente e na orgânica mas nunca chega ao serviço efectivo. Veja-se a Saúde, e o povo cada vez mais pobre a precisar deles.

Com milhões, muitos milhões à porta, todos se posicionam para receber e ficar tudo na mesma. Este esquema do Nacional é um belo exemplo, e não me venham as virgens honradas, quem é decente percebe ...

Continuaremos a ver os serviços do Estado depauperados e os privados, que os substituem, pouco importados com a humanidade se não tiveres dinheiro.


Enviado por Denúncia Anónima
Quinta-feira, 23 de Julho de 2020 17:42
Texto e título enviados pelo autor.