"Subsídio de Mobilidade" provoca o aumento dos preços das passagens aéreas para a Madeira

 

Os preços exorbitantes das passagens
são o resultado do “melhor modelo de sempre”

modelo de subsídio social de mobilidade apresentado em 2015 pelo Governo PSD/CDS está, definitivamente, na origem especulativa destes preços exorbitantes das passagens em praticamente todas as companhias aéreas. Os pareceres da ANAC demonstram esse facto.

Recorde-se, que o próprio PSD-M, em Agosto de 2015, louvou publicamente a portaria das viagens aéreas tendo considerado, de forma laudatória, que o novo subsídio social de mobilidade iria, cito: “possibilitar a todos os madeirenses, e em particular aos estudantes, viagens mais baratas do que aquelas que atualmente vigora” (sic).


O próprio Secretário Regional Eduardo Jesus referiu, em 2017, que foi “melhor modelo de sempre”, tão bom, tão bom que, em pouco mais de um mês, necessitou de ser revisto e alterado, e principalmente por um aspeto que o PSD deseja atualmente esconder da população, que foi o “pai da criança”. O modelo inicial, louvado pelo PSD, não permitia, apenas o pagamento de 65 euros (estudantes) e os 86 euros. Essa é a verdade.

Temos, infelizmente, um modelo de subsídio de mobilidade mau, uma cópia defeituosa dos Açores, e que levou ao aumento escandaloso das tarifas, da autoria material da coligação PSD/CDS. Se hoje pagamos, 700 ou 800 euros para uma viagem, não pode ser branqueada a responsabilidade e a autoria material dos seus criadores.

Recorde-se que foi o próprio regulador, ANAC, em 2017, a advertir que o novo regime, comparado com o anterior de 2008, fez subir o preço das tarifas, em função da alteração da fórmula de cálculo e do teto máximo, “motivou a concentração das viagens em escalões de valores significativamente superiores no anterior modelo”.

Juntos Pelo Povo

Enviado por e-mail
Quinta-feira, 18 de Novembro de 2021
Todos os elementos enviados pelo autor.

Adere à nossa Página do Facebook (onde cai as publicações do site)
Adere ao nosso grupo do Facebook: Ocorrências CM
Segue o site do Correio da Madeira