Curto-circuito nos nossos vencimentos

 

A Empresa de Electricidade da Madeira é de capitais públicos, covil de job for the boys do PSD, alienadora de áreas rentáveis para DDT's, emissora de facturas incompreensíveis e cheia de truques, entidade que cobra a uns mas não cobra a outros.

A população não vê nada de errado em não haver mais um player na área, nem no facto de acumular também comunicações. É a técnica de concentração para entregar a um privado em mais um esquema como tantos outros de concessão, portos, inspecção automóvel, marinas, rede viária (rápida), etc. O candidato aponto há muitos anos.

Os nossos queridos Miras não vêem socialismo nisto porque somos governados pelo Partido Social DEMOCRATA e o Centro DEMOCRÁTICO social. Com a dívida da nossa EEM, promovida pelo GR tal como nas Sociedades de Desenvolvimento, temos com bazuquinhas, bazucas e bazuconas regionais e europeias, a Electricidade da Venezuela no Atlântico. Só por não haver cortes é que deve andar bem, os negócios e negociatas, como a do gás natural, são anónimas até se consumarem pela calada. A EEM, em vez de ter a área de combustíveis (gás natural) tem a de comunicações, oxalá encontrem tecnologia para converter comunicações em energia.

Quando na Europa e em Portugal se promove o EI, Energia Independente, por forma a todos nós numa localização de muito sol tirarmos proveito dos nossos telhados, para uma energia mais económica e menos "carburante" do homem dos monopólios dos portos, dos combustíveis, do gás natural, da logística ... continuamos alegremente na cepa torta.

A Administração cristalizou-se com um Rebelo que também não se demitiu, conhece muitos rabos de palha e nem generais como o Cunha e Silva o destronaram com a Renovação. Único que, metido nos podres, poderia "desbancar" Rebelo do trono. Convém reler "Rebelo és um jeitoso", "A realidade provocada pela maldade da EEM", "O lixo do Rui Rebelo", "A espera do sol".

Neste cantinho do céu é tudo muito mais caro e não precisamos de concorrência, só faltava acabar com monopólios madeirenses (outro de ler: "Fumos e ganzas da política"), eles são queridos para nós consumidores. Somos as únicas ilhas europeias sem ferry, temos os combustíveis há várias semanas a encarecer e dizem que o GR regula, para o vendedor? Como é que o nosso miserável vencimento dá para pagar tudo isto e mais as dívidas do GR?

Fica a questão. Sou tão feliz ...

PUB: dê LIKE na nossa página do Facebook (link)
Enviado por Denúncia Anónima
Quarta-feira, 16 de Junho de 2021 12:57
Todos os elementos enviados pelo autor.