Casa do Povo de Santa Maria Maior: a democracia privada

 


U m exemplo de podridão numa Casa do Povo é claramente a obscura de Santa Maria Maior com Pedro Calado, o mesmo indigitado pelo betão para Vice-Presidente do Governo Regional, a liderar uma eleição sui-generis.

Foi uma eleição nada divulgada para que não aparecessem concorrentes mas, sobretudo selectiva com telefonemas a quem deveria cumprir "livremente" a sua obrigação de votar na fantochada. Eles pensam que o Povo não vê o que se passa na Casa.

"Parece" que houve eleições na Casa do Povo de Santa Maria Maior. Quem ganhou? Por quantos votos?Quantos candidatos? Qual a afluência? Tudo q.b. ... Há muitas interrogações mas hoje sabe-se bem que o mesmo Presidente "de confiança" foi eleito. Mas, isso chegou à comunicação social ou será só assim em suaves prestações para ninguém fazer as mesmas perguntas?

Assim anda a democracia nas IPSS que recebem ribeiras de dinheiro para fazer política. Se fosse no interesse de toda a população e não da política, isto não seria tão secreto com a chancela do Vice Presidente do Governo Regional da Madeira.

Quem está mal? Com certeza o denunciante, ... é o FDP como sempre. Não há deficit democrático porque não há democracia! As autoridades com certeza impávidas e serenas, acostumaram-se às burlas, denunciar é que é denegrir a instituição.

Asco!

Leitura sugerida: A casa que nunca foi do povo

PUB: dê LIKE na nossa página do Facebook (link)
Enviado por chat do Facebook
Quarta-feira, 21 de Outubro de 2020 21:02
Todos os elementos enviados pelo autor.