A cidade que se arma em grande urbe

 

S obre a bruta confusão de ontem provocada pelo atletismo no trânsito do Funchal tenho a dizer isto. Penso que por complexo de inferioridade queremos copiar sempre as soluções das grandes urbes. Acontece que se são grandes têm outras alternativas, para muitos o Funchal é a baixa, sítio atravancado por natureza devido a uma planificação secular que foi crescendo e com ruas estreitas construídas quando nem havia carros a não se de tracção animal.

Só um bando de idiotas é que não percebe que a solução que deram foi conduzir todo o trânsito para a Avenida do Mar em paralelo com as ribeiras e tornar pedonal vastas áreas perpendiculares às ribeiras que também têm espaços importantes. Se o eixo de distribuição viária é a Avenida do Mar, se a fechas tens um pandemónio porque tudo o resto fica sem escoamento. A cota 40 per si é só um auxiliar.

Se juntarmos a isto o facto de terem colocado todas as paragens iniciais na Avenida do Mar é natural que as pessoas também ficam atravancadas como os carros sem perceber onde se localizam as paragens alternativas. É assim que num ápice, trânsito e peões ficam aos encontrões nesta salada russa.

Precisamos de planificar a nossa cidade e a nossa realidade, não copiar dos outros que têm outras condições e arranjaram as suas soluções. Estão e vão desertificar cada vez mais a cidade, são pessoas que desistem da centralidade porque só têm mais despesas e confusões.

Não havia outro dia para a prova? Talvez fosse boa ideia promover várias actividades lúdicas, musicais e desportivas no dia das Eleições Autárquicas para perceberem como dói. A culpa é todos os que já passaram pela câmara.

PUB: dê LIKE na nossa página do Facebook (link)
Enviado por Denúncia Anónima
Sexta-feira, 30 de Outubro de 2020 10:27
Todos os elementos enviados pelo autor.