Desaparecidos em Combate

 


M iguel Albuquerque conseguiu ludibriar toda a gente, o povo, a oposição, e os antigos companheiros de partido que usou para tomar de assalto o PSD de Alberto João Jardim. Esses heróis do PSD que ouviram e aconselharam Miguel Albuquerque e que acreditaram na renovação são agora prisioneiros de guerra desaparecidos em combate. Entre muitos outros desaparecidos em combate está Manuel António, que segundo consta, foi o prisioneiro guerra de guerra nº1 no qual o PSD utilizou os truques mais baixos que se conhece para o obrigar a mudar de lado. 

Mas se mesmo dentro do PSD existem Desaparecidos em Combate, na oposição esse número de heróis é ainda mais dramático.


António Fontes é um bom exemplo de herói que claudicou e mudou de lado. Dos textos contundentes sobre o PSD, Alberto João e “broxelas”, restam apenas umas míseras cinzas das quais já ninguém se lembra. No meio dos choros lamechas do Miguel, ele rendeu-se ao inimigo e agora diverte-se a excitar-se com as gajas de biquíni no chiquérrimo Clube Naval. De herói a vilão foi um pequeno passo.

Gil Canha é outro desaparecido em combate, conta-se agora que este herói de direita rendeu-se e apaixonou-se por alguém da esquerda radical e abdicou da sua luta contra o PSD. Entre muitas afirmações confessou publicamente que Miguel Albuquerque é mais democrata que Jardim, e para ficar sempre a bem com o sogro por afinidade, dedica-se agora a provocar Paulo Cafôfo e o seu séquito de indigentes.

José Manuel Coelho é a personagem que se segue em desaparecido em combate. O reconhecido louco e herói do povo que desfraldou a bandeira Nazi na Assembleia Regional, e que fez da sua luta pela justiça uma bandeira pessoal, entretém-se agora a massacrar o seu inimigo de estimação do Diário, fazendo o trabalho sujo que o PSD não quer fazer.

E Miguel, além de enganar os seus próprios camaradas de luta, conseguiu comprar o CDS com migalhas, amordaçar o PS e toda a oposição. Na Madeira finge-se agora brincar à política com conhecidos vendidos nas fileiras do Partido Socialista, com um PCP e Bloco de Esquerda politicamente cansados, e uma JPP que para lá caminha. 

A somar a tudo isto, estão os inúmeros jornalistas desta santa terra, que de repente, consideram que com Miguel Albuquerque o regime mudou e a democracia venceu. 

Não insultem a nossa inteligência e tenham vergonha na cara!

Miguel conseguiu comprar tudo e todos, e a revoltar-se no céu devem estar, entre outros muitos heróis, Maria Aurora, Tolentino Nóbrega, e agora por último o eloquente Vicente Jorge Silva, e o pior é que todos já descobriram que aquilo pelo que lutaram foi em vão. 

Dos cobardes não reza a história! Quando deveriam somar ... somem-se. Dirão eles que há para aí alguns que não sabem o que é luta com o seu currículo, o problema é que o ciclo não fechou, só renovou e refinou, naturalmente para bem pior.

Enviado por Denúncia Anónima
Domingo, 13 de Setembro de 2020 09:39
Todos os elementos enviados pelo autor. Imagem inicial CM.