Brincando a política com o nosso dinheiro



N uma ilha tão pequena ninguém se entende. Somos todos madeirenses mas existe um apartheíd entre os que são do PSD, e se julgam donos do poder, e os outros da oposição que desejam mal à Madeira. Curioso, estes últimos nunca fizeram uma monumental dívida somada a outra monumental dívida de 6000 milhões às escondidas que deu cabo de vastas áreas do empresariado madeirense e ainda ... que teve perdões de dívida dos Governos Nacionais do PS. Sem esquecer que, desde que somos menores da Autonomia, todos os funcionários públicos são pagos por Lisboa, inclusive os abusadores.

Tudo isto parece querer dizer que, se as Autarquias fossem do PSD, os assuntos seriam abafados e ninguém se mexia a cobrar, razão aliás que está na base dos números a que chegamos, vêm de trás do próprio PSD à frente das instituições. Agora, cinicamente, usa todo o seu conhecimento que fez a dívida para cobrá-la, quando na altura que era para cobrar outros fecharam os olhos para que houvesse mais dinheiro para obras e intrujar os madeirenses para ganhar eleições. Pagar água e electricidade não era necessário porque são dos "nossos".

Numa ilha em que o Marítimo não paga electricidade e quase que aposto todas as Festas do Chão da Lagoa do PSD, a água tem os seus episódios, cada vez mais se vê o uso da Justiça para dirimir argumentos instrumentalizando a Justiça. Para quem não tem palas, é hora de perguntar pelos pagamentos extraordinários para compensar construtoras, as injecções de capital em empresas públicas e sociedades de desenvolvimento, o dinheiro político das Casas do Povo, etc, que ocorrem por gestão dolosa.

Para além da disputa política e dos país da criança (dívida), pergunta-se para que servem os juristas de todos estes organismos, Autárquicos e Governamentais, são mesmo angariados os piores advogados naqueles concursos de emprego? ... e que o erário público paga. Tenho lido no CM como fazem a sua vidinha no Tribunal na hora de serviço do Governo. Mais uns que não picam o ponto. Se tem dinheiro passe a consultar advogados do continente com esta cabal prova de incompetência.

Quanto ao GR e esta capacidade medíocre de leitura, vai-me dizendo que andam a semear motivos para receber as palavras de Jardim (Timor) de volta. Poderão se repetir com toda a lógica desde a República: - para a "Madeira nem mais um tostão".

Esqueceram-se de mencionar os Advogados "cubanos" das secretarias, Agricultura, Turismo, etc, dizem que até trabalham de luvas de tão bons que são.

Enviado por Denúncia Anónima
Quinta-feira, 13 de Agosto de 2020 07:17
Todos os elementos enviados pelo autor.