PSD: Roubar pedras é proteger a Sociedade

Imagem de Odílio Fernandes, retirada pelo CM do Clube Pés Livres
Ninguém tem dúvidas que o PSD tem praticado intensivamente uma variação deste preceito: roubar é proteger a Sociedade; pois “quem não tem dinheiro, não tem vícios” e os laranjas, na sua imensa “bondade”, ficam com o dinheiro e com os vícios. Assim, a população não os tem.

O novo argumento dos corruptos para enganar a população é: roubar protege contra o risco de aluvião. A questão é que as pedras não pertencem ao Estado. Pertencem aos proprietários dos terrenos (artigo 1328 do Código Civil).

Na Região, os terrenos vão até meio da Ribeira. Basta ver uma planta do cadastral para aferir a veracidade desta afirmação. Presumo que seja claro, até para um Renovadinho, que dar o que é de outrem é roubar. A segunda parte do argumento também é falsa: tirar as pedras do leito não diminui o risco de aluvião. Os leitos das ribeiras são “armados”. Isto significa que por cima estão pedras grandes que estabilizam o leito porque não são transportadas pelas águas. Por baixo, estão pedras mais pequenas e terra. Se se retirar as pedras grandes, ficam as pedras pequenas e a terra, que são mais facilmente transportadas pelas águas.

Em face do exposto, retirar as pedras que estão no leito aumenta o risco de inundação a jusante e mata o ecossistema costeiro. Será que preciso dizer que um leito composto de terra e pedras pequenas é mais erodível, pelo que a estabilidade dos taludes adjacentes a esse leito está posta em causa? Mais ainda o que provoca a suspensão das pedras grandes num aluvião são os finos; as terras. A maneira mais simples de ver isto é visitar um local onde tenha sido extraída pedra.

O PSD-M tem profissionais da mentira. Nem que seja só por isso, pelo direito de não sermos enganados devemos nos livrar dessa corja.

Enviado por Denúncia Anónima
Segunda-feira, 9 de Setembro de 2019 08:48
Texto e título enviados pelo autor. Ilustração CM.
Share on Google Plus