O orgulho não esmorece


E a fralda não mudou mas o bébé vai com o rabo assado, vai chegar ao dia em que dói tanto que é o próprio bébé que se arranca a si mesmo a fralda. Você e eu estamos bem, já estamos acostumados a esperar, eu vou ver agora as verdades sobre a situação deste empilhado de pedra a aparecer e como vão arder.

Ontem à noite, o PSD depois de perder a maioria absoluta e ter que negociar, voltou ao estilo espertalhão Renovadinho com as suas historietas. Todos mentiram. Alguém que acabe com as alucinações naquele partido ou comecem a dar aulas para distinguir a mentira da verdade. É que este clima vai tornar o PSD um hospício, corrijo, o Governo moribundo já o é. Há uma que jura a pés juntos que é Secretária do Turismo, só se é de passear muito, de governar é um berlinde.

O que mais gostei de ver foi este povo que não tem aparelhos a se organizar. Existe um entre as pernas que foi enfiado em vários, é a chamada orgia.

Há uma série de grupos do Facebook, blogues e sites que fazem muita mossa, acreditem! Se os ditos órgãos oficiais de corridas ... digo de informação, com jornalistas idóneos de carteira profissional e código deontológico se vendem ... não passam de meros fantoches com estas comparações. Quando se diz a verdade as pessoas sabem que é! Os senhores jornalistas e assessores podem levar um chorudo ordenado mas não têm influência. Como é que tanta gente pensa no mesmo para fazer uma cilada impressionante? Concentraram os votos no Cafôfo para desaparecer com o PSD, só que o PSD está há muitos anos a criar dependências, e lá vai "merdando".


A reacção dos dirigentes do CDS na sua declaração da noite eleitoral mostrou tudo de forma clara. Estavam ao natural. Pareciam patetas!

Em 2015, o CDS conquistou 13,71% com 17.489 votos o que deu 7 deputados. Nestas Regionais o mesmo partido conquistou 5,76% com 8.246 votos o que corresponde a 3 deputados. Meus senhores, mais de metade dos eleitores do CDS desapareceram e festejam? Já agora chamem o senhor Luís Miguel Sousa, financiador do partido para beber um copo de champagne, a senhora Pocinho, ponta de lança do Grupo Sousa, voltou a não ser eleita. Quantas vezes é que esta candidata já deu derrotas ao CDS? ... mas entrou a senhora Mira que parece não ter trazido nenhum voto ao CDS! Que escolhas brilhantes.

Aqueles dirigentes do CDS não estão preocupados com o partido que perdeu! Estão contentes é com a perspectiva pessoal de ir para um Governo. Os militantes do CDS que mudem de partido, esses dirigentes são iguais aos do PSD, por isso se casam bem. Durante a campanha, essas donzelas andaram aos zigue-zagues, ora fidelidade ao PSD ora ao PS mas toda gente sabia que há muitos meses que estavam combinados com o PSD. Quando isso rebentou na Praça Pública o CDS começou a abicar. Hoje vemos que fez grande mossa mas o destino tem destas coisas, quem cresce não Governa e quem perde vai para o Governo. Os passos que o CDS der agora vão ser cobrados nas próximas eleições.

A CDU já disse que não faz coligação com ninguém, orgulhosamente sós. Sempre a mesma coisa. Eles nem olham para o que sucedeu ao Bloco! Tenho pena, quem deveria ter ficado era o Bloco e o PCP posto a andar mas, fica a dica, da próxima vez que houver voto útil põe-se o PCP a zeros!

Por último, a Madeira parece ao Brexit ao contrário, os novos e urbanos querem o PSD fora do poder e os velhos das zonas rurais querem-no a mandar. Qualquer dia os novos vão embora e os velhos não têm rendimentos, deixem os mais novos terem oportunidades para viver!

A Única Crítica é a Gargalhada

 "A única crítica é a gargalhada! Nós bem o sabemos: a gargalhada nem é um raciocínio, nem um sentimento; não cria nada, destrói tudo, não responde por coisa alguma. E no entanto é o único comentário do mundo político em Portugal. Um Governo decreta? gargalhada. Reprime? gargalhada. Cai? gargalhada. E sempre esta política, liberal ou opressiva, terá em redor dela, sobre ela, envolvendo-a como a palpitação de asas de uma ave monstruosa, sempre, perpetuamente, vibrante, e cruel – a gargalhada! Política querida, sê o que quiseres, toma todas as atitudes, pensa, ensina, discute, oprime – nós riremos. A tua atmosfera é de chalaça."

Eça de Queirós, in 'Uma Campanha Alegre'
Share on Google Plus