Uma governação de interesses















      A dita renovação do desempregado político que afastou João Jardim porque ia renovar e melhorar tudo, morreu há muito tempo. E como não quer ir sozinho para a cova do esquecimento político, resolveu deixar muitas marcas, quais cicatrizes, na cara da Madeira.

A forma como este PSD Madeira despreza o património de todos nós só pode ser resolvido com uma derrota estrondosa nas próximas eleições.

Já não bastava o nojo que o agora promovido ás listas para deputado da República Sérgio Marques  deixou na cidade do Funchal, com a destruição do património que o Brigadeiro Oudinot nos deixou nas ribeiras do Funchal. Ou mesmo o actual secretário dos equipamentos e infraestruturas, que ganhou o emprego depois da derrota nas autárquicas de 2017, mas que não sabe ou não quer decidir nada que vá contra as construtoras (e financiadoras) deste regime como se viu no caso do aterro da Prebel, ou no roubo descarado de pedra nas ribeiras.

Agora temos um presidente do governo com pinta de Bolsonaro, e que decide pela cabeça dele fazer uma estrada pela Floresta da Laurissilva dentro. Está tudo louco ou todos foram infectados por algum vírus que os leva a destruir património?

Será que as construtoras descobriram alguma stock de pedra no meio da Laurissilva e já estão a salivar?

Ganhem juízo nessa cabeça, reforcem a medicação se for preciso, mas parem de destruir o património de todos nós para beneficiar de novo meia dúzia de barões que acreditam que a Madeira lhes pertence. 


Enviado por Denúncia Anónima
Sexta-feira, 23 de Agosto de 2019 20.35:17
Texto, título e imagem enviado pelo autor.
Share on Google Plus