Ainda sobre o concerto do James Arthur


Enviado por Denúncia Anónima 
Quinta-feira, 8 de Agosto de 2019 23:07
Texto e título enviados pelo autor. Ilustração e vídeo CM.

Não faço parte de nenhum partido, nem decidi em quem vou votar em setembro, mas este concerto tem muito que se lhe diga. Com estradas municipais em estado lastimável, semáforos disfuncionais, taxas de sinistralidade sem precedentes, como é que se justifica que a CMF gaste fortunas em artistas internacionais?

Mas será que vale tudo para ganhar eleições? Onde é que termina a demagogia e o populismo e começa a seriedade na gestão dos fundos públicos? Concerto gratuito? Então o artista vai cantar de graça? E a montagem dos palcos, e a energia, e a limpeza, … Mas será que já se esqueceram todos dos valores do IMI e das dividas camarárias? Pior do que isso só mesmo as pessoas de fora do Funchal que se queixam por não ter bilhete … Mas está tudo louco? É a cultura da selfie e do auto vangloriar, o que importa é fazer o post no Facebook a cantar o refrão das musicas do top da RFM, os artistas nacionais esquecidos no baú no sótão, enquanto o zé povinho faz o bis ao provincialismo.

Para voltar a casa talvez fure um pneu nas estradas que bem podiam ser de um qualquer pais de leste ou da América Latina, mas o povo está contente porque essa parte não vai para o face nem para o insta, só se for para o Ocorrências da Madeira ou um certo Correio da Madeira.

A oposição calada porque o povo gosta e já não se fazem estadistas como antes, do outro lado os sorrisos continuam para aqueles que têm um ego de Kasparov. E aqui continuamos, e a mula da cooperativa avança …

PS: Escrevo este texto com a incerteza de que seja publicado, peço aos moderadores do Correio da Madeira que façam o obséquio de publicar, nem que seja para que o povo pense que este é um espaço livre.

Share on Google Plus