Os Fiscais de Esquerda


Primeiro, que fique claro que não conheço e nunca falei com Paulino Ascenção, e por norma não gosto de políticos, porque os considero, a todos, mentirosos compulsivos. E que fique também claro, que não acredito em sondagens encomendadas. 

E então porque é que, decidi escrever sobre o Bloco de Esquerda? 

A sondagem de ontem do Diário previsível, por isso extemporânea, coloca o Bloco de Esquerda como a quarta força partidária e a crescer, e  por isso estou convicto que a caminho de se tornar a 3ª força da Região. 

O Paulino é inteligente, e hoje escreve um artigo muito bom, que alguns podem considerar o habitual paleio soviético dos partidos de esquerda, mas que na minha opinião não é, mas a cada um de nós cabe o direito de julgar como achar melhor. 

O artigo, simples e direto, deita por terra todo o cenário pintado pelo PSD-Madeira durante os últimos quatro anos. Na verdade, os bons continuam a emigrar. O desemprego continua a ser o maior do País. A saúde é o que é. A corrupção na Economia toma contornos de descontrolo total. E os tráfegos de influência deste governo na Função Pública continuam a passar impunes e longe da Lei. A Lei deve ser cega mas não paralítica. 

O problema é que, ao contrário da Direita, a Esquerda não se une e discute sempre os dogmas que os separam e nunca aquilo  que os une. O PCP continua fiel à sua linha indelével e a JPP por questões eleitoralistas mantem inteligentemente a distância a todos os partidos da área da governação. 

Com o CDS a reboque, o PSD vai tentar provocar Esquerda para criar conflitos entre eles, e ao eleitor desprevenido vai acenar com o papão do comunismo, do centralismo de Lisboa, e da economia de Estado. O problema do PSD é que a gerigonça funcionou e bem, e contra isso não vai ter argumentos. Vamos esperar para ver.

A maioria absoluta é um voto de confiança cego, e normalmente gera abusos de poder, ou seja, os que ganham sentem que estão mandatados para tudo, e isto que estou a dizer é válido tanto para o PSD como para o PS. 

Por isso a ideia que um Governo PS de Paulo Cafôfo possa ser igual ao PSD cai por terra se o PS for obrigado a governar com dois ou três partidos de Esquerda. 

Caros, também por norma eu só confio na minha mãe, por isso considero imprescindível que os governos, sejam eles quem forem, devam ter rédea curta e ser controlados por cães de fila, e estou convicto que o Paulino é um desses cães que morde.

"Todas as nações têm o governo que merecem"

Joseph Maistre
Share on Google Plus