O crash test do Amílcar


Enviado por Denúncia Anónima
Sábado, 08 de Dezembro de 2018 11:21
Texto e título pelo autor. Ilustração da responsabilidade do CM inspirados na denúncia.

Sou um leitor irregular do Correio da Madeira, e embora muitas vezes não concorde com o modo como abordam os assuntos, considero-os imprescindíveis numa terra que padece de défice de informação honesta e fidedigna.

Um artigo humorístico talvez não seja a melhor maneira de abordar um assunto tão sério como a segurança das populações. Humor à parte, o artigo sobre os muros de pedra a montante da Ribeira de São João é demasiado sério para provocar risos nos leitores, mas fica a intenção.

Não ia comentar o assunto, pois a melhor solução, em muitos assuntos, é deixar a banda passar e deixar a porcaria acontecer, mas como podem estar em risco os bens e vida das pessoas, julgo não ser honesto omitir a minha opinião sobre assuntos tão relevantes na área dos riscos.

Qualquer engenheiro com conhecimentos mínimos de hidráulica sabe que a geomorfológica das Bacias Hidrográficas, a ocupação do solo, e a chuva que cai são os elementos preponderantes para o cálculo de caudais específicos. 

Não é preciso ser muito inteligente para perceber que Bacias com inclinações superiores a 70% em cotas superiores a 1000 metros podem causar velocidades de escoamento incalculáveis. É caso para dizer! Estes senhores do Governo andam a brincar com água como se fosse fogo?

O que acontece no caso da Ribeira de São João, efusivamente publicitado na RTP-Madeira é, no mínimo, um atentado à inteligência. O Sr. Secretário Regional, como engenheiro Civil, devia perceber do que fala, mas como é reconhecidamente conhecido como um baldas, branqueia simplesmente um fala-barato dum geógrafo que nem engenheiro é.

Então o Sr. Secretário Regional, como não tem nada para mostrar, vai mostrar um monte de pedras e umas arvorezinhas plantadas que não não servem de nada?

Digam-me caros senhores. Foram sequer calculados os caudais esperados por Bacia? Os inventores destas soluções leram sequer aquela amostra de estudo a que chamaram PGRH - Plano de Gestão da Região Hidrográfica do Arquipélago da Madeira? 

Então emparedam-se pedras a fingir de muros de contenção, que com a primeira chuvinha, digna desse nome, vai-se desmoronar? E que dizer da invenção dos açudes “ecológicos” feitos com troncos de madeira montados a montante pelo responsável pela hidrologia? Foi do Google? Mas alguém no perfeito juízo considera que as Bacias Hidrográficas da Madeira são similares à da Áustria ou Noruega?

Afinal, o Sr. Presidente do Governo Regional tem razão! Há demasiados engenheirinhos e doutorzinhos nesta terra que não servem para nada!

Tenham juízo!

PS: Para o Correio da Madeira, uma palavra de apreço, pela coragem em denunciar. Continuem! Há pavor de cair com o Vosso humor neste governo!


Sugestão de leitura (vídeo): O diabo pega-se com as pedras do Amílcar
Share on Google Plus