Carvalho continua a enganar os Professores


Tens mérito?? Toma!!
Se bem que ... "bom" era só para amigos. 

Governo Regional atribui ‘Bom’ a todos os professores e garante progressões na carreira já em Janeiro - DN Madeira online 20.11.2018

"é atribuída a todos “a menção qualitativa de Bom”, sem prejuízo de os professores “poderem optar por concluir o actual processo de avaliação” ou utilizar uma avaliação anterior que não tenha sido utilizada como requisito de progressão."

" O estatuto eliminou a obrigatoriedade de observação de aulas para progressão para os 3º e 5º escalões."

O CM sabe que o Governo Regional prepara-se para decretar que os enfermeiros, os médicos, engenheiros e todos os outros funcionários públicos não tenham que ser avaliados por serem todos bons, terem tomado banho todos os dias e rezado antes de adormecer, para que não falte as "gotas e os pós" a todos os governantes desta região. 

Dar bom a todos, não lembra ao diabo! Esta medida retira qualquer motivação aos professores que têm brio e sentem orgulho na sua actividade profissional. Serve e deve deixar muito felizes os incompetentes que mais uma vez ficam equiparados em termos de avaliação aos que realmente são bons.

A possibilidade de distinguir os bons dos menos bons, dos maus e dos realmente muito maus, está destruída. 

Poder utilizar uma avaliação anterior!! É como ficar hoje em último numa prova desportiva e utilizar a classificação de uma prova anterior onde ficou bem classificado. Apesar de professor de ginástica este secretário não aprendeu nada com a conhecida "verdade desportiva". Aprendeu sim a ganhar na secretaria. Sempre no seu beneficio e da sua equipa. 

O povo que trabalha começa a perceber e a odiar estas jogadas. 

Como podemos esperar que os nossos filhos aprendam a importância do mérito quando quem os ensina nunca precisou desse argumento ou se tem o mérito de ser bom no que faz, vê outros menos bons a ter a mesma avaliação? 

Com medidas de este calibre os governos revelam que defendem os oportunistas e o facilitismo. Depois ficam surpreendidos quando a extrema direita começa a ganhar dimensão na Europa e aparecem lideres políticos como Bolsonaro no Brasil. 

A verdade:

Banco de se sentar à espera do Carvalho.
Os escalões não têm problema de vagas. O problema é na verdade na falta de dinheiro que é uma alínea presente no decreto lei do descongelamento

Este pormenor é uma forma do Governo Regional enganar os mais distraídos que acreditam que vão ganhar mais dinheiro ao longo dos próximos sete anos. A qualquer momento pode ser suspenso. Basta não existir verbas. Portanto pode até haver dinheiro em ano eleitoral mas depois? E é se houver! No tempo de Passos Coelho isto aconteceu e é a razão porque o governo de Costa sabe que não pode mentir e, falou a verdade, só pode recuperar 2 anos de tempo congelado e não mente como faz o Secretário de Educação que assinou os 9 anos, 2 meses e 4 dias. Que na verdade sabe que logo após as eleições tudo pára.


Os sindicatos dos professores assinaram para dar uma imagem que são poderosos, mas sabem que vão ter que voltar a luta em breve


Esta região será cada vez menos atractiva para quem quer aqui investir e espera ter trabalhadores que lutam para ser os melhores. O efeito a médio e longo prazo será desastroso na economia.

A governação de Miguel Albuquerque é esquizofrénica, pois diz que o seu governo privilegia quem é pelo mérito e depois mais uma vez o secretário de Educação demonstra quem manda no governo é ele e nunca deixou de decretar medidas que não promovem e protegem o mérito. 

Agora compreende-se porque destruiu a Escola do Curral e aplicou um processo disciplinar ao seu director. Em 2015, esta escola atingiu um patamar acima de bom e em 2016 também eliminou a Subdireção de Educação, que tinha a área da Educação Especial na Direcção Regional de Educação. Esta era uma área onde a região tinha um estatuto de excelência a nível nacional e europeu. Pura alergia ao que é muito bom. Nada pode estar acima do que representa o secretário, o presidente e o governo, o mau. Se está, elimina-se.

O descongelamento e actualização de remunerações, que nenhum outro secretário conseguiu, colocou em desigualdade milhares de funcionários públicos, e agora ao facilitar a avaliação e criar uma elite de beneficiados, que destrói ainda mais o frágil equilíbrio social dos trabalhadores da região. Quando os professores pediam justiça, Jorge Carvalho cria mais injustiça com eleitoralismos.

Gostaria de saber o que pensam os outros secretários e os seus funcionários, ao serem sodomizados, de surpresa e de novo, por este garanhão. Ele nem os deixa poisar.

As medidas e atitudes do secretario de Educação tornaram este mandato um dos mais destruidores da igualdade social e laboral da  história da região. Com uma actuação clara para facilitar a vida e alimentar os ricos e poderosos (escolas privadas, meios de comunicação e grupos empresariais com negócios na Diáspora) e destruir (fusões, perseguições, processos disciplinares e assédio moral) quem luta todos os dias com e pelo mérito do desenvolvimento da Região. 

O governo de António Costa, com o controlo do PCP e do BE, fazem mais pelo equilibro entre os trabalhadores da administração pública que o governo regional. Não acontecem jogadas destas. Pagamos mais impostos mas é para todos. 

O povo fica assim mais esclarecido na hora de votar. Atenção que o Cafofo é só fofo, também não tem conteúdo. Na Câmara Municipal do Funchal e do Porto Moniz só há facilitismo e compadrio. Os sinais são claros. 

Consta que estarão a disposição de cada cidadão, que ainda preze o mérito e o reconhecimento profissional, todos os secretários e directores regionais para serem açoitados nas próximas eleições. 

Só nos restam os partidos pequenos, os que resistem a este temporal de aviso laranja com o risco de passar a rosa, para controlar esta escumalha.
"Os meus heróis na vida real são os que desafiam a lei em nome de um ideal"
Share on Google Plus