Porque considero um ditador e não um administrador

Foto de Roberto di Matteo

Enviado por Denúncia Anónima
Terça-feira, 9 de Outubro de 2018 11:25
Texto e título de Bela Gouveia (Henke). Ilustração CM, fotos de Roberto di Matteo e Cruise Ferry-Madeira.

Já há muito tempo que sou membro da causa Ferry todo o ano. No Facebook encontrei um grupo dedicado a esta causa, onde passei a comentar as publicações e respondia aos comentários que me eram dirigidos.

Falo do grupo Cruise Ferry – Madeira. Nesse tempo que passou vi muitas coisas relacionadas com o ferry acontecerem, mas houve um acontecimento que não posso deixar de partilhar com todos aqueles que defendem a mesma causa que eu. Poderá parecer um lavar de roupa suja, mas entendo ser importante para abrir os olhos a muita gente que não sabe com quem está a lidar.


No dia 19 de setembro respondi com a minha presença ao apelo do senhor Paulo Farinha, administrador do referido grupo, para a “despedida do ferry ARMAS” (um até já!), nesse dia à tarde, junto ao ferry. Por alguma razão, o senhor Paulo reparou na minha presença no encontro por ele organizado, e no dia 20 de setembro fez um pedido de amizade do seu Facebook pessoal, para mim. Logo depois, através do Messenger agradeceu e perguntou se eu tinha tempo para ser moderadora no grupo “Cruise ferry-Madeira”. Pedi um tempo para pensar. No dia 21 recebi outra mensagem com o texto: “Viva cara e activa amiga. Quanto tempo poderá dispor para ser moderadora? Na manhã, à tarde à noite? Trata-se de serviço cívico e naturalmente voluntário”.

Respondi que aceitava e que tinha disponibilidade no horário das 22:00 à meia noite. O Paulo concordou com a minha disponibilidade e disse: “Razoável. Na qualidade de moderadora também modera os moderadores e até o administrador, certo?”. Após algum diálogo, por comentários inconvenientes da parte de uma senhora no grupo, o senhor Paulo disse: “Sim, existem comentários sem expressão que podem ser ignorados”. Respondi: “Não sei se tenho capacidade para moderar ... onde foi buscar esta ideia?”. A sua resposta foi: “Agora quando são dirigidos ao administrador ou aos moderadores devem ser moderados ou apagados, e se repetirem, dependendo do grau de ofensa ou comentário impróprio,  incorrem na expulsão”.  Com isso enviou-me uma lista com o nome dos moderadores, e com comentários a cada um deles: “Mais antigo do grupo, irreverente e complicado só quer complicar”, etc.

A partir daqui passamos a “falar” numa conversa no Messenger exclusiva ao administrador e moderadores da plataforma. Deram-me as boas vindas, conversamos … A determinada altura começo a aperceber-me que os moderadores estavam impedidos de publicar na plataforma, o que confirmei a ler outros moderadores a comentarem sobre isso.

Foto de Roberto di Matteo
O Paulo, enquanto administrador, havia restringido todos os membros e até moderadores de terem acesso à área de publicação no grupo. Além disso, comecei a ler publicações desagradáveis pela parte do Paulo e dirigidas para determinados membros do grupo, mas que qualquer membro poderia ler. Como não concordei com aquela forma de actuação, disse-lhe que não gostava, que não concordava com aquilo.

Logo ele irritou-se dizendo que o membro a quem aquelas publicações eram dirigidas só queria criar confusões, que é um homem muito complicado e que tinha de lhe responder. Acrescentou ainda que era necessário ter cuidado também com um dos moderadores do seu próprio grupo. A partir dessa altura, se um membro ou moderador quisesse publicar algo, o Paulo teria primeiro de saber o quê.

No dia 23 ele queixou-se que era praticamente o único moderador que trabalha. Claro que só poderia ser ele o único a trabalhar, se estávamos bloqueados como podemos ter actividade? Nesse mesmo dia reforçou ainda que comentários de membros que extravasam contra outros membros, contra o administrador, ou ofensivos, ou contra moderadores, devem ser apagados.

No dia 24, veio uma vez mais elevar o seu ego, dizendo: “Caros moderadores (as) para valorizar o grupo "Cruise ferry-Madeira" e despertar o interesse dos membros, publiquei 2 publicações sobre navios hospitais na Venezuela e Colômbia. Em princípio gosto de ser o primeiro a noticiar questões importantes, uma mais valia para o grupo. Evidentemente que podemos colocar notícias interessantes de navios, navegação, indústria naval, etc.. de modo a manter este grupo focado, numa altura em que as notícias sobre a ligação ferry são escassas. Boa semana”.

Foto de Roberto di Matteo
Uma vez mais, vossa exa. publicou, porque eu perco a paciência de ter que pedir-lhe autorização se quiser publicar. Neste mesmo dia, pela manhã, atacou uma moderadora porque é amiga do tal membro que fez faísca com o Paulo. Fiquei a pensar, então não estamos todos pela mesma causa? Felizmente interveio outro moderador,  referindo que não está ali para ver o grupo ser dividido, mas que é preciso coerência, transparência e dignidade. Ainda nesse dia veio um terceiro moderador pedir permissão para publicar. Antes que o Paulo respondesse, um quarto moderador contestou o facto dos moderadores terem de pedir permissão para publicar. Um quinto moderador (éramos 8 moderadores na altura) veio dizer que aquela provavelmente seria uma situação temporária.

Nos dias seguintes, as suas atitudes de falta de respeito, consideração e até mesmo de educação para connosco continuou. Entretanto o Paulo voltou a atacar uma moderadora, terminando a conversa dizendo: “Quem valorizar o (membro que provocou faísca com o Paulo), é absolutamente contraditório. Está a contradizer-se, pois disse que fala com pessoas da direita, centro e esquerda, todos sabemos quem não quis o ferry todo o ano. Está sempre em conflito com os moderadores. (...) Há pois não, a ratatazana do (membro que provocou faísca com o Paulo) evidentemente que não menciona nomes”. Estes termos demonstram sentimentos de raiva e ódio, e não de diálogo para que a causa seja uma só. 

Passado mais algum tempo, o Paulo volta a publicar um texto que poderia ser visto como ofensivo para alguns membros. Eu comentei na conversa da plataforma: “Decepção a causa ferry todo o ano, é local para publicação de bocas pobres de espírito. Fui. Fiquem bem. Uma boa noite para todos (as)”. O senhor Paulo respondeu: ”Sim @Bela Henke, porque existem idiotas na causa ferry, infelizmente. Seja realista. Aliás o Facebook disponibiliza ferramentas excelentes para o efeito, é considerado democrático. Boa noite. Amanhã â noite farei a contabilidade de quantos gostos este post registou. Aliás quanto menos idiotas existirem neste grupo, mais alívio para o trabalho voluntário do administrador e moderadores. A filosofia ajuda a viver. Bom fim de semana”.

Foto de Roberto di Matteo
Na manhã do dia seguinte, o senhor Paulo continuou a conversa: “@Bela Henke pelas 23:00h mencionarei os resultado do post que você considerou "Decepção a causa ferry todo o ano, é local para publicação de bocas pobres de espírito". Será determinado quem efectivamente é pobre de espírito. Você não acompanha a realidade da causa ferry, repito uma vez mais, atingiu um patamar satisfatório e confortável, em todos os quadrantes da sociedade, governantes, políticos, comunicação social, etc.. o que me apraz, sentindo-me praticamente realizado. Ontem a minha reacção ao programa Dossier de Imprensa, foi publicar o referido post, pois não vou alimentar polémicas inúteis. A causa ferry felizmente navega com estabilidade. Até logo.” Quando chegamos às 23:00, o Paulo publicou as suas conclusões: “Cara amiga, membro e moderadora @Bela Henke. Quanto à sua precipitação em colocar um Emoji de choro na minha publicação “A única vantagem do Facebook, sobre a vida real é que podemos bloquear os idiotas logo que os topamos...”. Informo o seguinte. Em 24 horas a minha publicação registou 145 emojis. Emoji de surpresa 1 curiosamente do moderador (...). Emojis de choro 3, incluindo o seu. Emojis de coração, 7 (um número positivo e de sorte ). Emoji de sorriso, 20 Emojis de polegar positivo, 114 Ainda, a registar, 11 partilhas do cartaz. Valorizo estatísticas tirando ilações das mesmas.

Posteriormente, neste canal de conversação, mencionou:
“Decepção a causa ferry todo o ano, é local para publicação de bocas pobres de espírito. Fui. Fiquem bem. Uma boa noite para todos (as). Sinceramente, decepcionado fiquei, com o seu comentário. Este grupo não é monopolista da causa ferry. Cara amiga, membro e moderadora, foi um prazer sermos companheiros de moderação neste grupo que felizmente potenciou ou potencia, notoriedade justa e real para a causa ferry. Foi uma experiência gratificante. Exerceu com espírito de voluntariado neste grupo, agradecendo a vossa participação, agora, que a causa ferry navega com estabilidade, não é necessário a vossa colaboração porque tenho plena consciência que tem vida própria acreditando que isto, de ser moderadora, cansa, e aumenta as suas dores. Contudo, e na qualidade de membro do grupo, evidentemente que pode continuar a comentar no grupo, tal como antes de ser moderadora. Agradeço a sua atenção. Bom fim de semana.”

Crédito: Grupo Cruise Ferry-Madeira
Atrás, o Paulo goza com as dores que eu senti naqueles dias devido a problemas renais pelos quais passei, felizmente já resolvido. Esta foi uma atitude esperada de alguém com aquela idade? Estupefacta com todo aquele texto, apenas respondi: “não entendi...”, e a resposta que obtive do Paulo foi: “não entendeu? não há problema. Fique bem! acima de tudo deixa de ter dores pelo encargo de ser moderadora. Obg.”. Com essa mensagem fui banida da moderação do grupo e também eliminada da conversa no Messenger.

Com este texto queria mostrar-vos que o senhor Paulo, idolatrado por alguns membros, não é assim tão perfeito como querem-no pintar. Ele pode ter criado o grupo que mais defende o regresso do ferry por todo o ano, mas tal não lhe dá direito em ter atitudes autoritárias junto a todas as outras pessoas. Quero aconselhar-vos a seguirem as publicações que o senhor Paulo e os moderadores que resistiram às expulsões feitas por ele nesses dias (agora são apenas 5 moderadores), mas tenham cuidado com ele. Os ditadores começam em pessoas que vivem para o seu próprio ego, a quem um dia lhes deram mais poder do que aquele que eles poderiam lidar.

Eu apoio uma causa, e suponho que todos nós o fazíamos, mas a nossa causa não é alimentar o ego de alguém que se acha mais do que é. A nossa causa é voltarmos a ter um ferry todo o ano. Da minha parte vou continuar a apoiar esta causa, seja em que grupo for e com quem for. Apoio uma causa e não uma pessoa. Todos deveríamos estar juntos nesta causa. Estas atitudes só enfraquecem o grupo que o sr. diz administrar ao qual assume toda a responsabilidade do seu sucesso mas a realidade é que este grupo só chegou onde chegou, com a visibilidade que tem, graças ao trabalho dos seus membros e moderadores com as suas publicações. Muitos deles acabaram na mesma excluídos porque não alimentaram o seu ego, embora continuem a apoiar o regresso do ferry todo o ano.

Estes moderadores foram os verdadeiros impulsionadores deste grupo, estes compraram viagens no ferry para apoiar a sua causa. Quantas viagens o sr. comprou? É que falar durante anos e depois não o fazer também não parece que seja uma forma correcta de apoiar esta causa. Os seus moderadores viajaram, fotografaram, publicaram, e o sr. se serviu e depois apenas quis ficar com mérito próprio. Mas sabe que mais? Ninguém se importa que fique com esse mérito para alimentar o seu ego que parece forte mas está bem fraquinho.

O que nos importa mesmo é o ferry. Seja de que companhia for, queremos ferry todo o ano!


Bela Gouveia (Henke)
Foto de Roberto di Matteo

Share on Google Plus