De laranja a vermelho, boa sorte continente!


Serei breve. Ultrapassamos com sorte o furacão Leslie, sorte como quem diz, as condições para ele progredir salvaram-nos. Os furacões têm níveis mas o 1 não é desprezível pois é uma escala de péssimo, e antes assim do que ganhar qualquer razão sobre gente desbocada. Tudo é política na Região Autónoma (?) da Madeira.

Acho que está na hora de dizer isto, as ilhas como nós do Mediterrâneo (União Europeia) passaram por más horas, sobretudo as Baleares, e manifestar solidariedade apesar de não acrescentar nada (para além da presença de espírito) se não for acompanhada de meios, bens ou força de trabalho, nada acrescentam, mas mostram que estamos atentos e em comunhão de humanidade nas más horas dos outros.

Das coisas que mais senti no 20 de Fevereiro foi a frieza da União Europeia quando vivíamos aqueles dias e nunca esqueci. Os outros são iguais. Estas atitudes de não prestar atenção à solidariedade mostram o que somos e traçam um perfil. Nunca se sabe como nos encaram nas mesas das negociações e o que influenciam as cabeças. Eu acho que estas pequenas grandes atenções têm influencia na forma como os outros nos olham mas estamos nas mãos de gente sem qualidade, egoísta e egocêntrica que derramam sobre nós uma imagem de que não podemos fugir.

Nesta hora de alívio, ficam desde já as primeiras palavras de desejo de que os continentais tenham a mesma sorte que nós na Madeira e que a tempestade que já colocou 5 distritos no aviso vermelho e outros no laranja se dissipe junto à costa. Os modelos indicam isso mas do primeiro embate não se livram, é sempre assim até o furacão perca as condições que o alimentam



A amizade, como o dilúvio universal, é um fenómeno de que todo o mundo fala, mas que ninguém ainda viu com os seus próprios olhos.
Enrique Poncela

A monarquia degenera em tirania, a aristocracia em oligarquia e a democracia em anarquia.
Políbio



Olá Sophia, achamos boa ideia juntar a evolução do estado do tempo:

Share on Google Plus