Como o PSD-M nos leva ao extremismo


Numa observação geral, temos assistido ao evoluir do populismo e do extremismo na política que acaba por chegar à Governação. O mundo está polvilhado de perigosas aves raras na Governação. No meu entender, só acontece porque os denominados "bons" ou "normais", assim do tipo impolutos sem rótulos de fascistas, extrema-esquerda, nazis, etc, abusam, são corruptos e tornam o teatro democrático em terra sem credibilidade.

É aqui que nos lembramos do "temos que" e do "doa a quem doer" que foi uma palhaçada.

O problema reside em que durante a campanha mentem, apresentam a melhor cara, prometem e depois defraudam as expectativas. Trazem já o dolo de ludibriar o povo para chegar ao governo e isso depois traz irritação. O processo de degradação leva anos e são os maus políticos que o vêm a compor. As eleições vão sucedendo e o eleitorado pelas experiências tidas e pela maior informação, alguma das redes sociais, começa a combinar para tramar esta casta de maus políticos que temos. Já houve política, quando os melhores da cada profissão eram chamados para liderar políticas pela sua experiência, agora temos hordas a se perfilar para o emprego sem nada perceber e sem vergonha na cara.

Isto é particularmente visível pelo tipo de discussão política descida ao caixote do lixo, ao buraco e ao derrame, que naturalmente nos infernizam o dia-a-dia mas, não são mostra de que esses políticos tenham uma visão global e de futuro para nós.

Como a boa gente e os bons profissionais observam este ambiente, de mata e esfola na treta em acérrima luta pelo emprego na política, naturalmente afastam-se e aqui está o perigo. A escumalha chama escumalha porque os bons fazem sombra e instituem uma ditadura dentro da democracia. Perseguem o ganha pão das pessoas para incutir medo, para se tornarem dóceis de arma apontada e sem opinião. O processo vai adicionando cada vez mais ingredientes para o aparecimento dos extremismos, interpretada como solução para limpar toda a porcaria.

Penso que é o que acontece no Brasil, estão a passar do comunista Lula para a extrema direita Bolsonaro. significa que não há côr política e o que se diz pela boca fora tem muita influência. As pessoas ávidas de verdade e punho forte, para meter toda esta palhaçada na linha, cede ao populismo e ao extremismo que sabe corresponder com palavras fortes na mesma campanha eleitoral que já os traiu.

É aqui que se deve informar os eleitores que quando nenhum candidato convence devemos dispersar os votos porque assim ao menos controlam-se uns aos outros, não se esqueçam que os Messias foram embora.

No caso da Madeira, esta mentira constante que abafa governantes, políticos, lobbies, que cria a verdade oficial sem qualquer jeito de mentir está a saturar. Os jornais tentam ser idóneos quando perdem a cara em busca da sustentabilidade financeira e é por aí que, mesmo publicando toda a sorte de sondagens em favor, as redes sociais vão vencendo porque o povo não é tonto e vai sabendo distinguir a palha da verdade.

O povo é levado ao extremismo porque ninguém tem coragem de sair da fórmula, deixam-se ir à parede.
Share on Google Plus