A companhia das ilhas portuguesas


Enviado por Denúncia Anónima
Segunda-feira, 8 de Outubro de 2018 23:37
Texto, título e imagem enviados pelo autor.

Acabo de ler que a SATA (Internacional) voltou a dar prejuízo e pelo que conheço, muitos dos seus problemas nascem no facto das administrações serem fortemente politizadas, chegam por cunhas e favorecimentos políticos nomeados pelo partido que governa os Açores.

Sei que este não é o melhor momento para dizer isto aos madeirenses mas o melhor que poderia ter acontecido à TAP foi receber uma administração privada sem influências partidárias na sua gestão comercial, estamos a vê-la crescer como pode com o problema do hub Humberto Delgado.

Desde que a SATA Internacional saiu da Madeira nunca mais teve as suas contas equilibradas porque era um nicho particularmente bem sucedido. Os voos eram directos da Madeira para destinos Europeus, não passavam por Lisboa. Não sei se por razões políticas ou por incompetência das administrações, foi um erro a extinção da base da SATA na Madeira que dava lucro. Tudo isto se torna caricato depois de vermos deputados a perguntar ao Antonoaldo na ALR pelos voos directos Madeira com destinos europeus. Antonoaldo respondeu que era difícil porque para disponibilizar o avião era necessário sair de Lisboa, o que significa que o problema de Lisboa contagia a Madeira para obter os voos directos.

Temos tido cimeiras Madeira - Açores e não sei sinceramente o que dai resulta, nem para o malfadado Subsídio Social de mobilidade quiseram copiar alguma coisa que funciona. Ninguém ouve confusões nos Açores com o subsídio deles. O que mais me impressiona é que haja uma companhia constituída, amarrada à dimensão dos Açores e à sua diáspora, entalada pela concorrência das low cost, que ainda não teve um olhar objectivo e inteligente dos dois Governos Regionais para tornar a SATA a companhia das ilhas. Penso que em qualquer cimeira deveria ser o assunto número 1, juntar as sinergias de ambos os arquipélagos, onde para já, a Madeira poderia ser a maior beneficiária pelo fluxo de turismo numa altura de quebra e ainda contribuinte para que a SATA se salve.

A Madeira precisa de voos e a SATA também. É preciso fazer um desenho? Ou será humildade a menos para orgulho e política a mais? Estão todos mais preocupados com tachinhos? Já se percebe porque uma administração privada é mais eficaz. Onde se montam políticos e seus amigos ninguém os arranca. Preferem deitar a companhia a perder pensando que o governo arranja sempre um esquema para tapar o buraco.

Quais são os resultados práticos das cimeiras Madeira - Açores?
Share on Google Plus