Porto do Caniçal: "É uma infelicidade da época que os doidos guiem os cegos"

Às vezes ponho-me a pensar o que não seria um grande porto da Europa a ser administrado pela APRAM, Sousas e Pedras. Um "case-study". Há coisa que aprendi nas grandes organizações, se geres mal a realidade atropela-te e limpa-te do mapa. Não há este marasmo de anos e anos a aturar esta coisa nos nossos portos.

Vamos avança para nova barraca, vocês devem estar loucos para saber que raio de foto é essa.

Sousas e  Pedras amparados por Albuquerques, Calados e Cafôfos mostram todos os dias o quero, mando e posso. Com a comunicação social dominada (não sai uma notícia sobre as patifarias no Porto do Caniçal), uma oposição largamente comprada, uma APRAM de vassalagem e um Presidente do Governo que vai a todas as festas que não mostrem o descalabro da sua governação, andamos nós neste vale de lágrimas que se chama Porto do Caniçal.

Funcionários para produzir devem ser respeitados e bem orientados e estes devem reconhecer um bom patrão e produzir. Borra tudo! Nada é assim no Porto do Caniçal é ao contrário, por sorte que não se vendem armas como na terra do Trump senão aquilo era "queda na máscara" (para quem foi à tropa) e tiros todos os dias. Os contentores só serviam para se esconder e se livrar das munições a zumbir. Eu, adoraria ser manobrador de gruas para atirar lá de cima. Depois de reformado e se isto continua assim, quero uma casa sobranceira ao Porto do Caniçal para me rir todos os dias com a bagunça. Quando é que a Região Autónoma da Madeira vai sossegar e meter ordem os portos da região? Ainda não chega ou a culpa é de Lisboa?

Ontem, os encarregados do porto proibiram os manobradores de fazer levantamentos, a primeira coisa que veio à cabeça é que no meio de tanta avaria tinham detectado algo grave mas, com a ausência de razões os trabalhadores chegaram à conclusão que estes estavam a tentar provocar confusão entre camionistas e manobradores, a fim de conquistar os camionistas contra os manobradores. Jogo sujo.

Não satisfeitos com a acção, surge uma carrinha para levantar todos os equipamentos que dispensam snacks e café (pagos pelos trabalhadores) no Porto do Caniçal. A malta agora para comer só trazendo farnel e termo. Fizeram questão de exibir o carro com as máquinas a meio do parque de manobras e contentores para que todos os trabalhadores vissem. A malta é pacífica e não malhou um contentor de 40 pés desde 30 metros de altura em cima do veículo provocador. O manobrador deitava a cabeça fora da grua e dizia: - quase se esqueciam desta máquina!

Que tal tirar o cais para os estivadores não terem chão?

Dizem que a senhora Pedra enlouqueceu e que anda a se pegar com as pedras, ontem tive o comprovativo. Estando Sousas e Pedras mal vistos, andam a fazer jogo para colocar uns contra os outros e por aí retirar algum campo de manobra.

Estas picardias sem sentido estão a aquecer cada vez mais os ânimos e é necessário um mediador que restabeleça o diálogo e uma APRAM que meta ordem em quem explora o Porto do Caniçal. O nosso porto tem má fama porque foi amealhando lesados e perseguidos, o lobby produz mal estar. O lobby pega-se com toda gente, com empresas de navegação concorrentes, transitários concorrentes, pegam-se com sindicalistas e pessoas comuns. Usa e deita fora. Explora incautos e encosta a parede necessitados. A má fama da Madeira nos portos vem de há muito. Este episódio dos estivadores a reclamar por condições de trabalho são legitimas perante a falta de manutenção e avarias dos equipamentos portuários, das condições de trabalho e da remuneração. Que querem mais depois de todo o privilégio?

Nota: a foto é do carro que leva os dispensadores de comida e café.
É uma infelicidade da época, que os doidos guiem os cegos."
William Shakespeare 
Share on Google Plus