Olha outro ... cumprimos!



Cafôfo neste fim de semana começou a falar do que importa aos eleitores. a tarefa foi fácil, comentou uma foto onde os seus oponentes falharam e diz que irá propor "soluções e não promessas". Vamos dar o benefício da dúvida mas não quer dizer que não haja receio. Primeiro foi buscar para a economia gente do monopólio que já diz que o ferry pode ficar apenas dois anos. Tremam, Cafôfo já usou "Cumprimos" e depois acrescenta-se a Ministra do Mar que parece se dar bem com monopólios (Sexta às 9).

Resultado de imagem para ferry PSD Madeira

Com o brilharete do fim de semana é um murro no estômago recordar às "Pessoas" o cartaz "Cumprimos" e com ele vamos pensando na gestão da câmara e a velocidade com que dá despachos, conserta furos, violenta árvores e festeja a semana da mobilidade com a cidade sitiada por obras.
A imagem pode conter: 1 pessoa, a sorrir, fato e texto
Cafôfo já usou "Cumprimos"
Mas há o lado do PSD-M, o gozo torna-se maior porque de uma neurose obsessiva compulsiva com origem na derrota Autárquica, o PSD-M pensou: slogan que ganha não se mexe, mesmo que seja da oposição. Vai daí, aqueles geniais criativos da campanha da Rubina copiaram o "Cumprimos" para o PSD-M que pensaram "vamos enganar estes gajos todos". E enganaram-se.

Cumprimos com Cafôfo acertou naquele momento, para o futuro veremos, agora para o PSD-M, sem obra da que importa ao povo, foi um desastre e todos gozam. Dá que pensar se estamos a falar com agências de comunicação ou verdadeiros candidatos a debitar compromissos. É que estes dois "Cumprimos" parecem ser campanhas de baixo orçamento oferecidas a todos como o campeão de vendas da empresa de comunicação
O PS já usou "Cumprimos"


Para ficar empatado à boa maneira da comunicação social regional, uma no cravo e outra na ferradura, o Cumprimos na saúde do PSD-M e o Cumprimos nos medicamentos da CMF dá um descanso ao comprido no gavetão eterno. Não é verdade?

E terminamos a Cumprir cabalmente o "Cumprimos" sem o cartaz do PSD-M. Espero que a partir de agora a agência de comunicação já não possa mais vender o irritante "Cumprimos".

Share on Google Plus