Causa Ferry: alô desde bordo


Enviado por Denúncia Anónima
Terça-feira, 18 de Setembro de 2018 15:30
Texto e imagem do autor. Título do CM.
Publicação anterior da Causa Ferry.

No decurso da operação "Causa Ferry Madeira-Continente” a nossa equipa a bordo do Volcán de Tijarafe desenvolve as suas ações de recolha de informações sobre as opiniões dos passageiros e alguns agentes de operações comerciais de transporte de mercadorias. Auscultamos igualmente a tripulação do navio assim como algum staff dos quadros operacionais e oficiais marinheiros.

Constata-se a inquestionável satisfação e apoio que manifestam a esta ligação marítima. A expressão desse apoio é emotiva e indiscutivelmente positiva.

Considera-se assim legítimo o interesse desta ligação marítima e injustificáveis todos e quaisquer entraves e justificações incoerentes sobre a viabilidade económica da operação Ferry. O nosso repúdio é total e somatório!

A operação não pode ser considerada sem observar algumas das variáveis elementares de uma operação comercial:
  • Considerou a tutela um período de lançamento da operação?
  • Considerou a tutela que a adaptação das empresas importadoras e exportadoras não é instantâneo.
  • Considerou o Governo Regional que promover uma operação Ferry e implementa-la de que a mesma não se viabiliza na primeira semana, no primeiro mês ou no primeiro ano?
  • Considerou a Tutela que o fluxo de passageiros precisa de período de adaptação, planeamento e projeção no tempo?
Do Governo Regional esperamos competência, independência e distância dos interesses comerciais do grupo económico dominante nos transportes marítimos da Madeira.

Ao Governo Regional só admitimos a defesa inequívoca e transparente dos interesses dos seus cidadãos e do nosso Povo. Onde fundamenta então o Governo Regional, em exercício, este modelo de operação do “tipo temporário”?

É óbvio o empolamento dos seus custos e a que título foi atribuído o “subsidio”, “compensação” ou “incentivo" a ENM. Tal foi alvo de estudo, de calculo ou de ponderação? Podem tornar publica esses procedimentos e operação?

Como justifica que não regulou ou definiu um critério para o transporte de mercadorias e viaturas para esta operação que agora finda?

Não consideramos aceitável a descontinuidade deste serviço. Os resultados são esmagadoramente positivos e inegáveis. Seja a nível de passageiros, seja ao nível de mercadorias e viaturas acompanhantes.

Como é possível ignorar e contrariar a evidência de que estas operações, e todas as outras no quadro anterior do armador Armas, foram um sucesso, apesar do boicote da empresa a quem entregaram o subsídio de 3 milhões de Euros.

A “Causa Ferry Madeira-Continente” continua em viagem, neste momento em alto mar e a navegar regularmente e com segurança. Não nos extinguiremos nesta operação, contamos com apoio massivo de todos os nossos companheiros de viajam e de todos que estão em terra.

Para o tecido empresarial importador e exportador defenderemos de “faca nos dentes” o transporte de mercadorias a preços, em volumes e características justas e aceitáveis.

A modernização dos transportes marítimos de mercadorias e passageiros irá acontecer!!!



Amanhã, quarta-feira dia 19, haverá um evento de despedida pelas 17:30h para um "até já" ao ferry ARMAS. Será excepcionalmente permitido, às pessoas que pretendam se associar, o estacionamento das suas viaturas para além do túnel de acesso ao Cais Sul do Porto do Funchal. 

Os interessados, que chegarem a partir das 17:00h, junto ao túnel, informem o segurança de serviço que pretendem estacionar a viatura para participarem na despedida.

Share on Google Plus