Uma carta fora do baralho


Miguel Iglésias até pode ser bom num escritório a arquivar, aspirar o chão, lavar as janelas e a dar banho ao cão, mas como estratega político vale zero! Como Emanuel Câmara não conta, a culpa do desaire desta última sondagem só pode ser do Miguel Iglésias, que no seu quero, mando e posso vai metendo água a baldes. Vai-te catar Iglésias!

E não foi por falta de aviso. Durante meses o CM produziu artigos de opinião (há quem diga que são de gente fake) expondo e alertando para todos estes factos. A estratégia de aproximação do Cafôfo, pela mão de Cristina Pedra,  ao Cartel Económico que manda na Madeira foi um idiotismo do Miguel Iglésias, pois criou anti-corpos irreversíveis no eleitorado do Funchal. Se tiver juízo, Paulo Cafôfo ainda está a tempo de inverter os acontecimentos. Mas, sem cinismos e a fingir, é mesmo para limpar e mudar o curso.

Quanto ao PSD, nada de novo, a campanha medíocre do “cumprimos” funcionou, mas esgotou-se aí. E a única dúvida que resta, é saber se fosse o Manuel António, o PSD não estaria muito melhor? Fica a dúvida.

O CDS é o único que ainda não fez qualquer esforço - tirando aquele outdoor da ADSE - que pouco impacto teve. Do CDS espera-se muito mais, estamos convictos que o CDS acha que é tudo muito prematuro e está-se a conter para os inícios de 2019. A ver vamos se a estratégia resulta.

Com tudo isto, prevê-se um verão quente em 2019, e aconselha-se protetor solar UV 30, pois todos os partidos vão precisar.

E da sondagem  insípida, a única conclusão que se tira, é que, decididamente, Miguel Iglésias é uma carta fora do baralho.
O campo da derrota não está povoado de fracassos, mas de homens que tombaram antes de vencer" 
Abraham Lincoln

Share on Google Plus