Porto do Caniçal avança para 4 semanas de greve, meta comida em casa.




Os maus instintos lobistas bateram de frente com o sindicato do estivadores, devido à perseguição aos sócios do SEAL Leixões e Caniçal, aderem à greve nacional de quatro semanas.

"O SEAL, em nome e em representação dos trabalhadores portuários e de todos os outros seus filiados, integrados no respectivo âmbito estatutário, que exercem a sua actividade profissional nas áreas dos Portos de Lisboa, Setúbal, Sines, Figueira da Foz, Leixões, Caniçal, Ponta Delgada e Praia da Vitória, declara greve à prestação de trabalho suplementar nestes portos, a partir das 08 horas do dia 13 de Agosto de 2018 até às 08 horas do dia 10 de Setembro de 2018."

"Constituem motivos graves, determinantes desta declaração da greve, a crescente proliferação de práticas anti-sindicais nos diversos portos portugueses, revestindo-se estas de extrema gravidade no porto de Leixões, permanecendo ainda graves no porto do Caniçal, agravadas pelo quadro de retaliação por parte das entidades patronais que, em resposta à jornada de luta motivada pelas situações de Leixões e Caniçal (manifesto e vídeo sobre o assunto aqui e aqui), optaram por rasgar um acordo celebrado no mês passado, relativo ao porto de Lisboa."

"Esta é mais uma das muitas formas de assédio moral sobre os trabalhadores portuários, que se somam à perseguição e à coacção, desde o suborno à discriminação, desde as ameaças de despedimento até à chantagem salarial, comportamentos “criminosos” que pretendem, não apenas colocar os trabalhadores uns contra os outros, mas evitar que os mesmos procedam à sua sindicalização de forma livre e consciente."

"Destes comportamentos ilegítimos por parte das empresas, frequentemente para benefício próprio de alguns agentes no terreno em detrimento da qualidade e produtividade dos serviços prestados nos portos, resulta uma maior precarização da mão-de-obra portuária, com todos os aspectos negativos a ela associados, como seja a ausência de formação profissional adequada e, consequentemente, o brutal aumento dos níveis de sinistralidade verificados, realidade que coloca em risco, não só os próprios, como todo o conjunto de trabalhadores portuários, equipamentos, instalações e, inclusivamente, navios e tripulações envolvidos."

Assim reza parte do comunicado dos SEAL, agora vou ver um ferry capaz de transportar bens, por alternativa, bloqueado por estes estarolas lobistas amantizados do Governo com os Sousas. O povo deve ser manifestar contra estes trogloditas.

Sai uma bica e um charuto que isto vai engrossar para os lobistas. Viva a Madeira livre!
Share on Google Plus