Sonho de uma manhã de Inverno


São quatro da manhã duma manhã fria e chuvosa, no Posto Emissor do Funchal toca-se “E depois do Adeus”. No silêncio da madrugada, quatro viaturas militares sobem a Avenida do Infante e param em frente à Quinta Vigia. Com um gesto firme o Capitão Costa que ia na Chaimite da frente ordena o arrombamento dos portões. Os jovens militares, feitos heróis à pressa, iniciam o assalto ao último reduto dos Renovadinhos.

Ouvem-se gritos, tiros, e algumas explosões no interior do edifício. Lá dentro, entrincheirados, estão Miguel Albuquerque, Medeiros Gaspar e Miguel Silva que resistem ripostando aos tiros dos heróis de Abril de 2018. Entretanto, a irrequieta Sissi, farta da ração miserável, abandona os donos e junta-se aos invasores.

O Povo anónimo acorda do torpor de anos de ditadura e junta-se aos revoltosos de Abril. Milhares de pessoas juntam-se na Rotunda do Infante e em frente à Quinta Vigia, era a revolução!

Na Praça do Município o povo já grita por Paulo Cafôfo.

Cinco da manhã e Paulo Cafôfo era levado aos ombros pelas ruas do Funchal. Era o êxtase de anos de sofrimento, e a ultima esperança de um povo desesperado.

Entretanto na Quinta Vigia combatia-se. Lá dentro ainda se ouvem tiros, Miguel Albuquerque, Miguel Silva e Medeiros Gaspar fecharam-se na casa de banho e continuavam a resistir. Ouvem-se algumas explosões e, horas depois, é negociada a rendição incondicional.

São 6 da manhã e Miguel Albuquerque aceita ser exilado para as Ilhas Selvagens. Entretanto no bunker da Rua dos Netos, Rui Abreu suicida-se.

Tudo corre muito depressa, e inesperadamente, do alto do Palacete do Quebra Costas Alberto João declara o seu apoio incondicional a Paulo Cafôfo reafirmando que é cafofiano desde pequenino.

No aeroporto Cristiano Ronaldo, Pedro Calado e Avelino Farinha são detidos quando se preparavam para fugir num avião particular para Gibraltar com 200 quilos de barras de ouro escondidos em sacos de cimento.

São oito da manhã, e sem perder tempo, Paulo Cafôfo constitui o primeiro Governo Provisório da Madeira. O primeiro ato do novo Governo é regionalizar a OPM e a AFA e mudar o nome do aeroporto para “Aeroporto da Madeira” para acabar de vez com a ventania.

Cafôfo marca eleições livres para Agosto de 2032, e nomeia imediatamente o primeiro Governo Provisório. Para a pasta do Equipamento Social  Danilo Matos, para a Educação Rui Caetano, Quinídio Correia para a Saúde, Sofia Canha para os Assuntos Sociais, Víctor Freitas para a Economia e Transportes, e para o Turismo Emanuel Câmara com o seu Arroz de Lapas.

Miguel Iglésias é nomeado comandante-chefe do COPMAD - Comando Operacional da Madeira com o objetivo de manter a ordem e acabar com os tachistas do regime recorrendo à Juventude Cafofiana.

Na rua canta-se “Madeira Ilha Morena” e o povo grita “O polvo unido jamais será vencido”.

Era o fim dos Renovadinhos!

De repente acordei, afinal era um sonho...


O louco, o amoroso e o poeta estão recheados de imaginação.

William Shakespeare

(*) “Sonho de uma Noite de Verão” foi uma comédia polémica  escrita por Shakespeare, em  meados da década de 1590.
Share on Google Plus